quarta-feira, 2 de maio de 2012

A minha conversão foi uma benção de Deus




Como é fácil falar do que fui e do que sou, como é difícil testemunhar Quem me transformou. Sempre fui uma pessoa crente em Deus, verdade seja dita, por razões de educação e nunca por iniciativa própria, o que não me impedia de criticar a Igreja, os Sacerdotes e os fiéis. Para mim era inconcebível a ideia de assistir a uma Missa, não me dizia nada, só frequentava a Igreja para Casamentos e Baptizados. A revolta, a angústia e a ansiedade dominavam os meus dias. Tudo era complicado, nada corria bem, o fardo estava a ser pesado para carregar. Todo o trabalho que sempre desempenhei, apesar de gratificante, nunca me preencheu, faltava sempre algo.

Um dia houve um "anjo da guarda" que me disse que conhecia uma Missa diferente, mais alegre, na qual já tinham sido testemunhados vários milagres, e achava que eu não tinha nada a perder. Pensei que o meu conhecimento era pouco em termos de fé e que só poderia criticar depois de presenciar, logo, para tal teria de ir assistir, apesar de duvidar.

Presenciei uma noite de Adoração, que no início só pela curiosidade permaneci. Quando o Santíssimo passou, toda a minha vida se transformou. Depois de um ataque de choro incontrolável (que até hoje não consigo explicar a razão) renasceu um novo "eu". Desde esse dia a Paz do Senhor reina em mim e uma força enorme me move todas as terças-feiras. Procurei saber mais sobre o catolicismo e recentemente fiz a primeira comunhão. Durante dois anos passei incógnita e procurando falar o menos possível sobre as minhas terças-feiras e teria continuado não fosse o retiro orientado pelo Pe. Marco Túlio que me transformou ainda mais, por incrível que me parecesse. Senti um cansaço enorme, é só o que retenho, mas após o retiro assustei-me, cheguei a pensar que estava louca, tal era a felicidade e o amor que sentia sem razão aparente e perdurou muito tempo ( 1 mês ). Durante esse mês procurei apoio no grupo dos Amigos de Jesus que me tranquilizaram uma vez que constatei que não era caso único, e desde esse dia não mais deixei de comparecer, uma vez que reconheci a sua importância para jovens que iniciam uma caminhada sem nenhuma preparação, como eu. Não tem sido fácil racionalmente aceitar toda esta minha transformação dada a sua rapidez, mas estou firme nesta minha caminhada.

Para terminar gostaria de testemunhar que hoje ao invés de me esconder, aconselho as pessoas a assistirem á oração e procuro difundir o mais que posso que Jesus está Vivo e que foi Ele quem me transformou. Eu te agradeço Senhor, por tudo o que fizeste, por tudo o que estás a fazer e por tudo o que ainda vais fazer por todos nós


Paula Rodrigues

1 comentário:

  1. Vai-te confessar do mal que fizes-te a muitas pessoas.

    ResponderEliminar